Afinal, qual é a importância da taxa de rejeição para um e-commerce?

O maior benefício de uma estratégia digital é, sem dúvidas, a possibilidade de mensurar os resultados em tempo hábil de agir para reparar alguma deficiência. É o que acontece com a taxa de rejeição do e-commerce, por exemplo.

Essa métrica costuma ser alvo de dúvidas e preocupações. No entanto, se você souber interpretá-la, é possível trabalhar para reverter a situação. Sabe o que isso representa para o desenvolvimento do seu negócio? A possibilidade de vender muito mais!

No post de hoje, confira o que é a taxa de rejeição, o que ela significa, como é calculada, como identificá-la no seu e-commerce e veja as dicas para evitar que ela aumente!

O que é taxa de rejeição? 

É o percentual de visitantes que acessou a sua loja virtual mas não interagiu em outras páginas e nem executou uma ação. Apenas clicou, olhou e saiu. É claro que existem sites em que o usuário só quer mesmo fazer uma consulta e pronto, como é o caso dos dicionários online ou até de Blogs.

Porém quando falamos de e-commerce esse cenário não é válido, afinal, é muito provável que o cliente acesse uma página da sua loja e siga navegando, pesquisando por produtos, fazendo buscas e finalizando a compra.

Quando isso não ocorre, a taxa de rejeição aumenta. Acompanhar esses números é fundamental para entender as causas do problema e impedir que ele evolua a ponto de causar enormes prejuízos.

Mas talvez você se pergunte: “mas e a taxa de rejeição da minha loja, é alta?”. Para isso, aqui vão algumas médias que você deve conhecer. Se sua taxa de rejeição geral estiver:

Menor que 20%: parabéns, sua loja tem uma excelente taxa de rejeição;

Entre 20% e 40%: sua taxa de rejeição está na média de mercado, está aceitável;

Entre 40% e 70%: você tem pontos que podem ser melhorados, inclusive, abordaremos nesse ponto;

Acima de 70%: sua loja possui graves problemas de negócios e tecnológico. Você precisa repensar todo o seu negócio.

No mercado americano por exemplo, segundo estudos, a taxa média de rejeição é de aproximadamente 34%, sendo que lojas de grande porte chegam a ter menos de 10%. Vale lembrar que estamos falando de um mercado evoluído, cujo indicador tende a ser menor que no mercado brasileiro.

O que a taxa de rejeição nos mostra?

O usuário abandona o site por diversos motivos. Abaixo, listamos alguns desses possíveis problemas:

  • aterrissou acidentalmente;
  • a usabilidade não está adequada;
  • o conteúdo e os produtos não são atraentes para ele;
  • o preço praticado pode estar acima da concorrência, assustando o visitante;
  • o site não é adaptável para dispositivos móveis;
  • os CTAs não estão claros;
  • a forma de pagamento  desejada não está disponível.

Portanto, quando a sua taxa de rejeição for alta, a primeira coisa que você deve fazer é analisar os pontos que citamos, que são os mais comuns.

Como a taxa de rejeição é calculada?

A maioria dos profissionais de marketing utilizam o Analytics, uma ferramenta do Google que fornece todos os dados relevantes sobre sites e aplicativos. São informações como quantidade de acessos, sessões mais populares, caminho por onde os usuários chegaram ao site etc.

Os números do abandono são calculados de acordo com as interações que o usuário faz em determinado período de tempo.

É importante levar em consideração que a simples colocação errada do código de rastreamento do Analytics no site pode fazer com que a taxa de rejeição seja equivocada. Isso acontece porque o sistema não tem como contabilizar o acesso das páginas que não possuem o mesmo código.

Por isso, verifique as configurações da sua plataforma antes de fazer uma avaliação crítica sobre o diagnóstico.

Como identificar a taxa de rejeição no seu e-commerce?

O Google Analytics identifica como inativo um tempo suficiente de 30 minutos. Entretanto, antes disso, o usuário pode clicar no botão voltar do navegador, fechar a página ou digitar o endereço de outro site na aba da página.

A melhor forma de identificar se as pessoas estão rejeitando o site da sua loja é por meio da experiência do usuário. Por exemplo, se ele entrar diretamente na página de contato da empresa e sair, é sinal de que a intenção era apenas obter uma informação, como telefone ou endereço.

Isso deve ser visto como algo natural. Afinal, ele encontrou o que precisava naquele momento. Por outro lado, uma taxa alta com um tempo médio elevado significa que, embora a pessoa não tenha interagido muito com o site, ela leu o conteúdo das páginas. Então, isso não pode ser visto como algo negativo.

Quais são as principais páginas que devo ter atenção?

Há uma série de fatores que contribuem para uma alta taxa de rejeição. Por exemplo, os usuários podem deixar o site da sua loja a partir da página de entrada, se houver problemas no design ou na usabilidade do site. Alternativamente, os usuários também podem deixar o site depois de visualizar uma única página e encontrar as informações de que precisavam nela, sem precisar continuar navegando.

Há ainda os blogs que exibem artigos completos na página principal. Nesses casos, o visitante pode ter lido diversos textos, gostado do conteúdo e não ter clicado em outra página simplesmente por não haver necessidade. Por esse motivo, não há como ter esse dado como base para analisar a qualidade do site.

5 dicas para diminuir a taxa de rejeição

1. Otimize o design do site

A usabilidade da sua loja deve estar de acordo com as melhores práticas. Além disso, é fundamental que seja responsivo, para se adaptar às telas dos smartphones. Faça um teste e abra as páginas em diferentes navegadores e dispositivos móveis para ter certeza que tudo está funcionando perfeitamente bem.

2. Tenha um buscador eficiente

Toda loja tem um sistema de busca, mas poucos são inteligentes e de qualidade. Quando citamos isso, estamos falando principalmente do resultado de produtos que é mostrado.

Em uma ferramenta de busca simples e antiga, o resultado de busca pode ser aleatório ou em uma ordem de cadastramento por exemplo. Em sistemas de busca avançados, os produtos que são apresentados são aqueles que possuem maior correlação com a palavra/expressão pesquisada, ou seja, são os itens mais visitados e vendidos.

Portanto, o sistema de busca além de aumentar a conversão, pode ser um grande aliado.

3. Crie botões CTA que se destaquem e em posições privilegiadas

As pessoas precisam de estímulo para executar uma ação. Por isso, garanta que suas páginas tenham os CTAs bem claros e destacados. Se a cor predominante da sua marca é preto, não deixe o layout todo preto e o botão de comprar, também preto.

Use as cores de uma forma que o botão ficará em destaque e é rapidamente notado pelo cliente.

4. Evite popups

As popups são aquelas janelas que abrem fora da página. Elas tiram a atenção da pessoa e também causam uma experiência desagradável na navegação. Evite essa prática para não interromper o processo. Se for trabalhar com anúncios, faça com ele sejam discretos.

5. Atraia os visitantes certos

Uma ótima maneira de evitar rejeição no site é atrair os visitantes certos. Defina as palavras-chave que se mais bem relacionam com o conteúdo do seu negócio. A ideia é alcançar a audiência que mais se identifica com a sua marca. Também é bom otimizar as campanhas de links patrocinados da mesma forma.

Como você viu, a taxa de rejeição é um indicador que precisa ser monitorado. Afinal, quanto mais esses números crescem, maiores são os prejuízos. De qualquer forma, é possível usar isso a seu favor para ter uma referência do que precisa ser feito para melhorar os resultados.

 

Autor: Rafael Campos – sócio Diretor de Key Accounts da Vtex.