Empreender: planejamento não é nada sem execução!

Ideia não é nada sem execução!

Ter uma ideia é o primeiro passo da maioria dos empreendimentos mas, acredite: provavelmente a ideia de negócio que você tem não é original. Pode ser cruel, mas a verdade é que você não foi o primeiro a pensar nisso. Mas calma, eu tenho uma boa notícia: ter a ideia primeiro não importa nada.

A real diferença entre a ideia que morre na casca e a que florece está na capacidade do empreendedor de realizar. Quando eu me questionei porque a contabilidade não poderia ser mais simples (e econômica), ouvi muitas vezes que era impossível e que muitas pessoas já haviam tido esta ideia. Ao invés de desanimar, estes avisos só me trouxeram a real perspectiva do quão difícil seria a missão e me fizeram encarar as dificuldades de frente.

É muito válido conversar com as pessoas, entender o mercado e aprender. Tudo isso aumenta as chances de sucesso do seu negócio, mas também é preciso acreditar no que você está disposto a fazer e encontrar formas de colocar isso de pé. Ou seja, planejando sim mas, acima de tudo, colocando o planejamento em prática.

Foco e objetivo: motores da execução

O que me fez colocar a Contabilizei de pé não foi genialidade ou o destino, mas sim muito esforço e trabalho. Estudei os processos da contabilidade, montei um plano e imprimi toda a minha capacidade e recursos em realizar o modelo de negócio que eu acreditava, sem subestimar nenhum passo. Eu sabia de todas as dificuldades que enfrentaria e ter esta visão me ajudou a superar cada barreira. E até hoje enfrentamos muitas, mas temos muito mais preparo e recursos.

Só que nada disso teria acontecido sem foco. Por isso, desde o primeiro dia da Contabilizei, quando éramos apenas eu e meus sócios – hoje temos um time de 150 pessoas – focamos na execução. Como as atividades dos outros sócios eram específicas, contabilidade e tecnologia, deixei eles imersos nisso e peguei todas as outras demandas para mim. Desta forma, enquanto eles se dedicavam a desenvolver o melhor serviço eu me focava em atender os clientes, realizar tarefas administrativas e fazer a empresa crescer.

Falar em foco quando uma empresa está no início e muitas vezes o empresário precisa fazer tudo sozinho pode parecer contraditório mas, acredite em mim: quem quer fazer tudo acaba não fazendo nada. No seu e-commerce, por exemplo, escolha o objetivo que você tem no curto prazo e coloque todos os seus esforços nele. Muitas vezes não dá, desde o início, para ter o melhor produto, a melhor entrega, o melhor preço, o melhor atendimento.

Escolha o que você consegue entregar muito bem agora e faça o seu melhor para isso acontecer. Com a maturação da sua empresa, consequentemente você vai dedicar atenção para outras áreas.

Nos primeiros anos da Contabilizei, por exemplo, nosso foco era atender apenas empresas de serviços. Mesmo com muita demanda de empresas de comércio querendo a nossa contabilidade, sabíamos que precisávamos primeiro focar em atender plenamente serviços para depois expandir.

Aos poucos, com o amadurecimento do nosso negócio para empresas de serviço, entramos com tudo no atendimento para empresas de comércio e hoje atendemos mais de 5.000 clientes em todo o país. Inclusive conseguimos desenvolver um atendimento exclusivo para empresas de comércio justamente porque demos o tempo necessário para estudar mercado e amadurecer o negócio.

Excesso de informações e escolhas: saiba gerenciar

Estudos, cursos e formações são importantes, mas é preciso ter cuidado com a super informação. Em cada estudo, mentoria, palestra ou curso que você fizer, tire apenas o melhor e mais útil. Faça as anotações principais daquilo que realmente poderá ser aplicado para o seu negócio, sem distrações.

E nas vendas pela internet, especialmente, cada dia surgem técnicas e ferramentas para vender mais só que, no fim das contas, fazer o básico muito bem feito é o que vai garantir o motor de crescimento do seu negócio.

Da mesma forma, as parcerias de negócios. Elas são importantíssimas e podem alavancar sua empresa, mas dedique-se somente àquelas que tem real potencial para construir algo duradouro.

Estas escolhas estão diretamente relacionadas ao foco que também está ligado à disciplina. Monitore-se para fazer apenas o que precisa ser feito e para direcionar sua atenção somente ao que importa.

Objetivos grandes, metas curtas

Seu objetivo é vender. Mas vender o que? Por que você faz o que você faz? Que tal traduzir isso em um grande objetivo?

Estabelecer algo grande faz com que as pedras no caminho não se sobreponham ao seu objetivo maior. E ter um conjunto de pequenas metas para atingir o grande objetivo pode ser um bom motivador, proporcionando pequenas vitórias ao longo do caminho.

Por exemplo: o seu grande objetivo pode ser ter o maior portal de comércio eletrônico de cervejas especiais do Brasil. Ok, você sabe que para chegar lá você precisará conquistar X acessos ao seu portal e Y reais em vendas. Hoje você pode não ter uma fração disso, mas pode chegar lá. O segredo está no conjunto de pequenas metas que você vai definir e eu te digo que cada conquista importa muito quando temos um grande objetivo. Não enxergue apenas o gap do que você tem hoje e o que você quer conquistar, enxergue claramente o caminho e você chegará lá.

Ah, vale dizer que o caminho não é linear. Por isso, revise suas metas constantemente vá fazendo os ajustes necessários nos rumos da sua empresa.

CONCLUSÃO

Um grande projeto é construído em pequenas etapas, uma por uma e os objetivos traçados só são alcançados com uma boa capacidade de execução. Otimize o seu foco e o seu tempo nos recursos e pessoas certas, não subestime as dificuldades mas, principalmente, não subestime a sua capacidade de realização.

 

Autor: Vitor Torres atual cofundador e CEO da Contabilizei Contabilidade Online e Empreendedor Endeavor.